Farinhas são todas do mesmo saco?

Farinhas Saudáveis

A farinha é um alimento comum na culinária brasileira. É um acompanhamento famoso nos almoços e churrascos, em qualquer parte do país. E não é só a clássica farinha branca de mandioca – existem por aí uma variedade imensa, com sabores e cores bem diferentes. Mas são todas iguais? O que elas têm em comum? Elas podem ser prejudiciais? Bem, vamos falar sobre os tipos de farinhas e da maneira certa de consumi-la.

São todas do mesmo saco?

As farinhas não são todas iguais. Basicamente, elas são feitas a partir de sementes, possuem mais carboidratos; são as que mais engordam, pois esses carboidratos viram açúcar, no sangue, e são armazenados na forma de gordura. Já as farinhas de origem leguminosa são ricas em proteínas de pouco uso no corpo.

As farinhas originárias de raízes, como a famosa farinha de mandioca, apresentam características mistas.

Qual é a ideal?

Isso vai depender da finalidade do uso. Nem toda farinha é para acompanhamento culinário, cada tipo possui finalidades específicas. Aqui, vamos diferenciar cada tipo, e orientar na escolha da quantidade ideal, para um perfeito ajuste na sua dieta.

Farinha de banana verde: é pouco calórica, e rica em fibras – ajuda na manutenção da flora intestinal ativa. Geralmente é comprada pronta.

Farinha de arroz:  uma excelente alternativa para substituir a farinha de trigo em algumas receitas. Fazendo isso, a receita ganha fibras, não contém glúten (ótimo para intolerantes a glúten), e você pode preparar em casa, é fácil. Se optar por arroz integral, fará uma farinha bem menos calórica e com até 50 vezes mais fibras.

Farinha de aveia: com certeza você já viu essa famosa farinha em caixinhas no supermercado. Ela é rica em fibras solúveis, e em beta-glucana, que promove a diminuição de colesterol. Assim como a farinha de arroz, ela não é acompanhamento, é usada no preparo de receitas.

Farinhas Saudáveis Farinha de linhaça: rica em fibras, ela ajuda no aumento do colesterol bom no nosso corpo. Pode ser usada tanto em receitas, como pode ser consumida naturalmente em salada de frutas, vitaminas, etc.

Farinha de milho: é mais nutritiva que diversas farinhas, e recomendada para receitas de algumas farofas. Mas não exagere. Sem glúten, essa farinha ainda é espetacular por ser saborosa.

Farinha de soja: existem duas versões; a farinha branca e a preta. A branca, é rica em cálcio, proteínas, e fibras, mais do que a outra. A preta, por sua vez, é menos calórica, e rica em antocianina – mas é utilizada em receitas. Um substituto ideal para perca de peso.

Farinha de feijão branco: você pode preparar em casa, ela é rica em faseolamina – que absorve carboidratos, ajudando na perca de peso. Mas para isso, você não deve levar essa farinha ao forno, se não… perde as propriedades dessa substância. Acompanha tudo: desde almoços, a lanches, frutas, vitaminas e saladas.

 

O que achou? Viu que cada farinha possui utilidades distintas? Uma dica é variar o próprio consumo de farinhas.

IMPORTANTE: evite a compra de farofas prontas. Por mais saborosas que sejam, não é saudável consumi-las frequentemente, pois possuem alto teor de sódio.

Comentários via Facebook

Comentários via Facebook

Autor: Blog Saúde Mais

As informações, dicas e sugestões contidas neste blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos e outros especialistas.

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *