Relacionamento familiar nos dias de hoje

Relacionamento familiar nos dias de hoje

São as pessoas com quem geralmente nos sentimos mais a vontade, e com quais convivemos independente dos problemas. A família é uma instituição sólida, milenar, um conjunto selado e firme entre pessoas que tem o compromisso de cuidar uma das outras. Pela família, se aceitam os desafios, as dificuldades, as lutas, e quase toda espécie de desavenças. Geralmente, isso é tudo que se diz sobre a família, e desse jeito, ela parece o grupo mais forte do mundo. Mas, nos últimos anos, o relacionamento familiar tem sido relativizado de diversas formas. Há quem considere as relações sociais mais importantes; houve crescimento no nível de desentendimento entre familiares, e a taxa de divórcio aumentou bruscamente. Isso nos leva a perguntar: o que mudou? Como se relacionar direito, em família?
Para entender essas mudanças, precisamos acompanhar algumas variáveis interessantes. Por exemplo, nos últimos anos, houve:
• Avanços tecnológicos
• Globalização do mundo e da informação
• Flexibilização das classes sociais
Os avanços na área de tecnologia e a globalização, são irmãos. O mundo está conectado, a internet é o veículo de comunicação mais popular, e isso muda a forma de viver o dia a dia. A geração de antes usava a rede dos Correios; a de hoje, manda mensagens instantâneas por WhatsApp.

A flexibilização das classes sociais, trouxe um advento periódico: a forma de consumir mudou. Nos últimos anos, principalmente no Brasil, famílias mais pobres desfrutam de bens de consumo, como eletrodomésticos e imóveis, que antes não desfrutavam. E isso novamente, muda a forma de viver o dia-a-dia. E toda mudança no cotidiano, influencia os relacionamentos. Isso, porque a vida que vivemos, é plano de fundo de tudo que fazemos, falamos, prometemos, e… a vida influencia a forma como lidamos com as pessoas. Vamos a um exemplo:
> O seu pai tinha que andar 5 km para chegar a escola. Hoje, você vai de ônibus e por isso, ambos tem visões diferentes sobre a mesma oportunidade.
> Sua avó escrevia cartas, e esperava a resposta ansiosamente, por dias. Hoje você usa WhatsApp, e essa espera já não existe, assim como também a ansiedade.
> Sua mãe fabricava bolos caseiros quase todos os dias, e era elogiada por isso. Hoje, com massas prontas para bolos, e com dificuldades de encontrar os ingredientes de antes, ela já não recebe os mesmos elogios de antes.
relacionamento familiar As modernidades melhoraram a forma de viver, mas apenas na PERSPECTIVA INDIVIDUAL. Os mecanismos facilitam a vida, economizam tempo, mas desperdiçam a vida coletiva familiar. A interação, o afeto, as demonstrações de carinho, a paciência em ouvir, em esperar, isso tem sido substituído pelo instantâneo, pelo que é depressa. A globalização fez os humanos preferirem a informação rápida, a abraços demorados. Mensagens no celular não substituem o contato humano que selam o afeto entre membros de uma família.
Relações familiares não podem ser digitalizadas.
E é muito difícil reverter um quadro tão consolidado. Daí, a melhor forma de criar uma família sadia, com equilíbrio entre a modernidade e a convivência, é habituando esse equilíbrio desde o começo. Precisamos resgatar a paciência, e nos despir dos valores que esse mundo global nos impõe. A posse de bens materiais nos torna egoístas, a ansiedade por uma mensagem é maior do que a expectativa de um beijo… e isso nos consome, como amigos, como esposas, como família.

Comentários via Facebook

Comentários via Facebook

Autor: Blog Saúde Mais

As informações, dicas e sugestões contidas neste blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos e outros especialistas.

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *