Rotina produtiva e equilíbrio mental

Rotina produtiva e equilíbrio mental

Para entender a importância da rotina produtiva e do equilíbrio mental, é preciso ter a visão de mundo do trabalhador, e do empregador – seja ele um empresário, proprietário de firma, lojista, etc. A produção de um trabalhador está relacionada não apenas com a capacidade de produção dele, mas também com sua saúde. E a saúde do trabalhador, está intimamente ligada ao dia que vive – e isso, envolve o trabalho, é claro.

Ou seja, um tem a ver com o outro.

 

E o ambiente de trabalho acaba sendo mais responsável nessa balança de comparações.

Isso, porque para que o trabalhador produza adequadamente, é necessário que a empresa o mantenha condições de trabalho que permitam a integridade e manutenção da saúde do trabalhador. E em tantos aspectos e insalubridades a serem corrigidos, um deles diz respeito ao equilíbrio mental.

 

Ok, você deve estar se perguntando qual o trabalho que não gera cansaço ou estresse. Praticamente, nenhum trabalho. Curiosamente, a palavra “trabalho” se origina do latin tripaliun, que significa tortura, sofrimento. Embora o propósito do trabalho não seja torturar nem machucar, o fato é que ele muda o homem. A profissão representa uma parcela significativa da identidade de uma pessoa, e sua realização implica numa série de mudanças graduais a longo prazo, mudanças que devem ser acompanhadas pela empresa, por profissionais de saúde, e é claro, pelo próprio trabalhador. É importante estar ciente dos processos pelos quais atravessa-se.

Rotina produtiva e equilíbrio mental

 

Então, o que a empresa deve fazer, para gerar um ambiente de trabalho e uma rotina produtiva que permita uma saúde mental equilibrada, para o seu funcionário? Existem diversas ações que minimizam o impacto do estresse, cansaço, fadigas, e tantas mazelas que se acumuladas, podem acarretar em prejuízos maiores a saúde da mente do trabalhador. Ficam como exemplo:

  • Academias no ambiente de trabalho: modernas empresas já incluem a possibilidade de exercícios físicos no ambiente de trabalho. Aliviam tensões musculares, melhoram a circulação sanguínea, e trazem disposição à tona. Para rotinas de trabalho mental, onde se trabalha mais sentado, é uma boa para relaxar.
  • Espaços de descanso e/ou meditação: Esse ambiente é mais relativo. Pode ser na empresa… ou pode surgir por iniciativa do trabalhador, no intervalo de trabalho. Uma praça, um parque próximo ao local de trabalho, pode servir para relaxar e descansar.
  • Alimentação saudável: melhor que o crédito para almoçar, é providenciar alimentos que façam bem ao corpo e metabolismo do trabalhador.
  • Incentivo a prática de esportes: em parceria, a empresa pode fornecer material esportivo com desconto em lojas parceiras, ou assinaturas com desconto em clubes esportivos. Por iniciativa própria, o trabalhador pode fazer reunir amigos para algum jogo desportivo, para liberar as tensões acumuladas.
  • Acompanhamento psicológico: Se por iniciativa da empresa, ou do trabalhador, é fato que um acompanhamento periódico é útil, para identificar como o trabalhador se enxerga no espaço onde trabalha, como se sente, como projeta-se onde vive.

 

Esses são alguns exemplos, de como a empresa pode comunicar-se e moldar uma rotina que proporcione produção e saúde. O trabalhador, por sua vez, não pode ser inerte e passivo nesses processos, é vital que ele busque alternativas que visem a manutenção de sua saúde. Em casa, nas folgas, no tempo livre, no caminho, é importante que existam ações que o façam relaxar, eliminar tensões, cansaços, dentre outras mazelas do dia-a-dia.

É preciso estar atento a si mesmo. Perca de motivação, infelicidade, indiferença, são indícios de comprometimento da saúde emocional. Cuidar da empresa, envolve manter o bem-estar dos seus funcionários. E você, colaborador, não negligencie sua saúde: ela não tem preço.

Comentários via Facebook

Comentários via Facebook

Autor: Blog Saúde Mais

As informações, dicas e sugestões contidas neste blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos e outros especialistas.

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *