Tipos de adoçantes existentes

Tipos de adoçantes existentes

Os adoçantes são usados nos alimentos e bebidas assim como o açúcar. A grande diferença é que ele adoça mais e por isso pode ser ministrada em menores quantidades. Ele é conhecido também como edulcorante, e pode ser artificial, que não possui calorias, ou natural, com quantidade menor de calorias comparado ao açúcar.

Entre os adoçantes artificiais há os aspartames, a sacarina, o ciclamato, a sucralose e o acessulfame-k.

Confira como cada um funciona e suas propriedades:

Aspartames: é o mais utilizado entre os adoçantes, com poder de adoçar até 200 vezes mais do que a sacarose. Com valor enérgico de 4 calorias por gramas. Pessoas que sofrem de fenilcetonúria devem evitar a ingestão deste tipo, pois ele contém fenilalanina em sua composição.

Sacarina: este é o tipo mais antigo de todos, com poder de adoçar até 500 vezes mais que a sacarose, mas deixa um alto gosto residual na boca. Ele é muito utilizado nos alimentos, cosméticos e medicamentos.

Ciclamato: muito utilizado em alimentos, ele é proibido em alguns países, pois a sua composição pode provocar efeitos cancerígenos, mutantes em células e alérgicos. Seu poder de adoção é 50 vezes maior que a sacarose.

Sucralose: por ser muito estável em grandes temperaturas, este adoçante é muito utilizado em produtos esterilizados, UHT, pasteurizados e assados. Em um prazo de no máximo 24 horas ele é totalmente eliminado pela urina do organismo. Com poder de adoção até 600 vezes maior que a sacarose, ele não produz cáries e reduz a produção de ácidos que as produzem.

Acessulfame-k: é o mais resistente ao tempo e as altas temperaturas entre todos os adoçantes. Tem poder de adoção de até 200 vezes mais que a sacarose e a urina o elimina totalmente do organismo em algumas horas.

Dos adoçantes naturais temos a frutose, o sorbitol, o manitol e o esteovídeo.

Frutose: ele é extraído das frutas, cereais e mel, e tem poder de adoçar até 173 vezes mais que a sacarose, mas deve ser consumido com precação, pois causa cáries e os diabéticos possuem consumo limitado.

adoçantes

Sorbitol: sua origem veio das frutas e algas marinhas, com poder de adoção 50 vezes mais que a sacarose. Só pode utilizar quem não é obesa ou diabética. É resistente e altas temperaturas, à evaporação e ao cozimento.

Manitol: ele é originário dos vegetais e algas marinhas também, com poder 70 vezes maior de adoção do que a sacarose.  Não é permitido para diabéticos, e se consumir muito dele um efeito laxante é produzido.

Esteovídeo: com poder de adoção de até 300 vezes mais que a sacarose, ele é encontrado na planta Stevia rebaudiana. Não possui calorias e é estável em altas temperaturas.

Nutricionistas sempre recomendam o uso dos adoçantes naturais, como a stévia, sorbitol e manitol, além da sucralose, muito bom também. É necessário entender que qualquer açúcar ou adoçante se usado em grandes quantidades pode produzir efeitos colaterais como obesidade, diabetes e alto colesterol.

Agora que você já sabe os tipos de adoçantes que existem no mercado, você já pode escolher o que melhor se adéqua ao seu corpo e bolso.

Comentários via Facebook

Comentários via Facebook

Autor: Blog Saúde Mais

As informações, dicas e sugestões contidas neste blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos e outros especialistas.

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *